domingo, 29 de maio de 2011

BEM AVENTURANÇAS DOS JOVENS




Felizes os jovens
que confiam no teu amor;
felizes as jovens
que buscam a verdadeira felicidade;
felizes os jovens
que, sinceramente,vivem com a dignidade de batizados;
felizes as jovens
que respeitam a dignidade das pessoas de todas as idades;
felizes os jovens
que sabem escolher o melhor caminho no seu dia a dia;
felizes as jovens
que são agradecidas pelos bons conselhos que recebem;
felizes os jovens
que conservam a esperança;
felizes os jovens e as jovens
que sabem testemunhar o teu amor
num mundo tão violento e carente de felicidade.
Felizes as jovens e os jovens
que acreditam que serão felizes fazendo a tua vontade,
pois só tu és o “Caminho, a Verdade e a Vida”.
Amém!

«Eu apelarei ao Pai e Ele vos dará outro Paráclito para que esteja sempre convosco»


São João de Ávila (1499-1569), presbítero
Sermão nº 30, 4º sobre o Espírito Santo


Da mesma maneira que Jesus Cristo pregava, prega agora o Espírito Santo;
da mesma maneira que Ele ensinava, ensina o Espírito Santo;
da mesma maneira que Cristo consolava, consola e alegra o Espírito Santo.
Que pedes? Que procuras? Que mais queres tu?
Ter em ti um conselheiro, um pedagogo, um guardião,
alguém que te guia, que te aconselha, que te encoraja, que te encaminha,
que te acompanha em tudo!
Finalmente, se não perderes a graça, Ele estará de tal modo a teu lado
que não poderás fazer, nem dizer, nem pensar em nada
que não passe primeiro pela Sua mão e pelo Seu santo conselho.
Será para ti um amigo fiel e verdadeiro;
não te abandonará se tu não O abandonares.

Da mesma maneira que Cristo, durante a Sua vida mortal,
fazia grandes curas e espalhava a Sua misericórdia
nos corpos daqueles que tinham necessidade d'Ele e O chamavam,
assim este Mestre e Consolador
opera obras espirituais, nas almas em que habita. [...]
Cura os coxos, faz com que os surdos oiçam,
dá vista aos cegos, traz de regresso os transviados,
ensina os ignorantes, consola os aflitos, encoraja os fracos (cf Mt 15,31).
Cristo fazia estas obras santíssimas entre os homens
e não podia tê-las feito se não fosse Deus;
fazia-as com a natureza humana que tinha assumido e dizemos, portanto,
que foram feitas por um Deus-homem.
Do mesmo modo, a essas outras obras que o Espírito Santo faz aqui na terra,
no coração em que habita,
chamamos-lhes obras do Espírito Santo através do homem,
aqui considerado como elemento secundário.

Não poderemos considerar como infeliz e desafortunado
aquele que não possui essa união,
aquele que não tem um tal Hóspede em sua casa? [...]
Dizei-me, já O recebestes? Já O chamastes?
Já O importunastes para que Ele venha? [...]
Que Deus esteja conosco!
Não sei como [...] podeis viver privados de tão grande bem.
Vede todos os bens, todas as graças e misericórdias
que Cristo veio fazer aos homens:
esse Consolador derrama-as a todas nas nossas almas.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

«Sem Mim, nada podeis fazer»




Que ninguém alimente a ilusão de pensar distinguir-se nas coisas grandes,
se de antemão não se distinguir nas coisas simples.
Crede que há muitas espécies de fervor, ou melhor, de tentações.
[...] Alguns, para não terem de renunciar à própria vontade
levando a cabo o que lhes dita a obediência,
almejam fazer coisas mais importantes sem reparar que,
se não possuem a virtude das pequenas coisas,
ainda menos possuirão a das grandes.
Com efeito, ao lançarem-se em coisas insignes e difíceis
com fraco espírito de abnegação e grandeza de alma,
dão por si a confundir zelo com tentação,
por já não terem forças que cheguem. [...]

Digo-vos tudo isto não para que afasteis o vosso coração
de empreendimentos árduos que, por sua vez,
vos darão azo a que vos distingais como grandes servos de Deus
e assim possais ser relembrados pelos vossos sucessores,
mas apenas para que, nas pequenas coisas, vos mostreis grandes,
progredindo no conhecimento das tentações e do vosso próprio valor,
e desse modo coloqueis todo o vosso ânimo em Deus.
Se assim perseverardes,
não duvido de que crescereis continuamente em humildade e vida interior,
e assim dareis muito fruto noutras almas,
vivendo em paz e segurança onde quer que vos encontreis.

São Francisco Xavier (1506-1552), missionário jesuíta
Carta de 5/11/1549, n.º 90, 34-36

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Signore, donaci dei preti plasmati su di te!




Preti adatti al mondo di oggi,
che resistano a tutti gli sbandamenti e a tutte le mode.
Preti pieni di Spirito Santo,
preti innamorati di te, dell'Eucaristia, della Parola,
preti spezzati alla preghiera.
Preti che anche nei mille impegni mantengono l'unione con te,
preti capaci di custodire sempre nel cuore la preghiera,
come faceva Gesù.
Preti che insegnano a pregare.
Preti appassionati dei giovani, dei poveri, degli ultimi.
Preti che sanno accogliere tutti;
capaci di misericordia e di tenerezza
per tutte le disperazioni del mondo di oggi.
Signore, mandaci dei preti da battaglia, umili,
senza storie per la testa; umili e fedeli alla Chiesa.
Mandaci preti allenati al sacrificio,
che sanno parlare ai giovani di sacrificio,
che sappiano condividere con semplicità.
Mandaci preti aggiornati, con le idee chiare,
che rifiutano i compromessi mondani.
Mandaci preti di punta, preti creativi,
dal cuore grande come il cuore di Cristo,
instancabili nell'insegnare, nel guidare, nel formare.
Preti costanti, resistenti tenaci.
Mandaci preti che non si scandalizzano di nessuna miseria umana.
Mandaci preti che si sentano peccatori come noi,
preti limpidi, che portino il Vangelo
stampato nella loro vita più che nelle loro parole.
Signore, donaci il coraggio di chiedere preti santi
e di meritarli un poco,
almeno con la preghiera umile, costante e coraggiosa.
Maria, Madre dei preti, Madre della Chiesa,
aggiungi tu quello che manca a questa preghiera
e presentala a Cristo per noi.
Amen.

(don Andrea Gasparino)

Oração de um pastor ao Bom Pastor

São João Damasceno (c. 675-749), monge, teólogo, doutor da Igreja
Exposição da fé ortodoxa, 1


 
Ó Cristo, meu Deus,
Tu abaixastes-Te para me levares aos ombros,
a mim, ovelha perdida (Lc 15,5),
e colocaste-me em verdes prados (Sl 22,2).
Refrescaste-me nas fontes da verdadeira doutrina
por intermédio dos Teus pastores,
de quem Tu mesmo eras pastor antes de lhes confiares o Teu rebanho.
E agora, Senhor, chamaste-me para estar ao serviço dos Teus discípulos,
não sei por que desígnio da Tua Providência, pois só Tu o sabes.

Mas, Senhor, aligeira o pesado fardo dos meus pecados
que Te ofenderam gravemente; purifica o meu espírito e o meu coração.
Guia-me por caminhos retos (Sl 22,3),
como uma lâmpada que me ilumina.
Dá-me a coragem de propagar a Tua palavra;
que a língua de fogo do Teu Espírito (At 2,3)
me dê uma língua perfeitamente livre,
e me torne sempre atento à Tua presença.

Sê o meu pastor, Senhor, e sê comigo o pastor das Tuas ovelhas,
de modo que o meu coração
não se desvie nem para a direita nem para a esquerda.
Que o Teu Espírito me dirija pelo caminho reto,
de modo a que as minhas ações se realizem
até ao fim segundo a Tua vontade.

Amém.

sábado, 14 de maio de 2011

«Todo aquele que fizer a vontade de Meu Pai que está no Céu, esse é que é Meu irmão, Minha irmã e Minha mãe»

Concílio Vaticano II
Dogmática sobre a Igreja, «Lumen Gentium», §§ 61-62


A Virgem Santíssima,
predestinada para Mãe de Deus desde toda a eternidade
em simultâneo com a encarnação do Verbo,
por disposição da Divina Providência
foi na terra a nobre Mãe do Divino Redentor,
a Sua mais generosa cooperadora e a escrava humilde do Senhor.
Concebendo, gerando e alimentando a Cristo,
apresentando-O ao Pai no templo,
padecendo com Ele quando agonizava na cruz,
cooperou de modo singular, com a sua fé, esperança e ardente caridade,
na obra do Salvador,
para restaurar nas almas a vida sobrenatural.
É, por esta razão, nossa Mãe na ordem da graça.

Esta maternidade de Maria na economia da graça perdura sem interrupção. [...]
De facto, depois de elevada ao céu,
não abandona esta missão salvadora mas, com a sua multiforme intercessão,
continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna.
Cuida com amor maternal dos irmãos do seu Filho que,
entre perigos e angústias, caminham ainda na terra,
até chegarem à pátria bem-aventurada.
Por isso, a Virgem é invocada na Igreja com os títulos de
advogada, auxiliadora, socorro, medianeira. [...]
 
Nenhuma criatura se pode equiparar ao Verbo encarnado e redentor;
mas, assim como o sacerdócio de Cristo é participado de diversos modos
pelos ministros e pelo povo fiel,
e assim como a bondade de Deus, sendo uma só,
se difunde variamente pelos seres criados,
assim também a mediação única do Redentor não exclui,
antes suscita nas criaturas cooperações diversas,
que participam dessa única fonte.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Pace, Fede, Conversione, Preghiera, Digiuno



(...) la pace è possibile,
ma solo Gesù ce la può veramente dare.
Ma la PACE implica una FEDE che,
come ci dice Gesù,
può sposate le montagne;
la Fede implica la CONVERSIONE del cuore,
ottenibile attraverso il sacrmaento de Perdono e l'Eucaristia,
la PREGHIERA e l'ascolto della Parola di Dio;
la Pace attende infine il sacrificio del DIGIUNO,
che non è solo astensione dal cibo,
ma anche distacco e rinuncia agli eccessi di questo nostro mondo,
mai sazio di beni materiali e sempre più affamato d'Infinito.
Pace, fede, conversione, preghiera, digiuno sono i "cinque sassi",
tappe della strada di ritorno verso "gerusalemme",
il Regno di Dio, la cui gloria è la pace, la giustizia tra gli umoni.


(Susy Mocerino, Un pellegrinaggio del cuore)

terça-feira, 10 de maio de 2011

«Eu sou o pão da vida» (Lauda Sion)




Louva Sião o Salvador,
louva o teu Pastor e o teu Guia
com hinos e com cantares.

Louva-O o mais que puderes:
supera todo o louvor,
nem bastante O louvarás!

Não há mais sublime assunto,
que nos possa ser proposto:
o pão vivo que dá a vida!

O mesmo que já foi dado,
ao grupo dos doze Apóstolos,
quando da última Ceia!

Seja perfeito e sonoro
este louvor e alegria
que brota das nossas almas. [...]

Nesta mesa de um Rei novo,
a Páscoa da Nova Lei
fez findar a Páscoa antiga.

Suplantando os velhos ritos:
dissipa a verdade as sombras
como a luz dissipa a noite!

O que Cristo fez na Ceia
ordenou que se fizesse
em memória de Si mesmo. [...]

Carne é o pão e vinho é o Sangue (Jo 6,55);
mas sob as duas espécies
palpita Jesus inteiro!

Não se parte nem divide
por aqueles que O recebem:
é tomado tal qual é!

Quer sejam mil, quer um só,
todos recebem o mesmo,
sem por isso O consumir! [...]

Eis aqui o pão dos anjos (Sl 78,25),
dado em viático aos homens;
verdadeiro pão dos filhos,
nunca jamais para os cães! (Mt 15,26)

Foi já predito em figuras:
na imolação de Isaac (Gn 22),
no Cordeiro pascal,
e no maná do deserto.

Ó bom Pastor, pão autêntico!
Ó Jesus, que olhais por nós!
Alimentai-nos! Valei-nos!
Dai-nos ver o bem supremo,
na Terra dos que já vivem! (Sl 26,13)

Tudo sabeis e podeis,
Vós que nos alimentais:
fazei-nos Vossos convivas,
herdeiros e companheiros,
na pátria de Vossos santos!



São Tomás de Aquino (1225-1274) - teólogo dominicano, doutor da Igreja
Sequência para a festa do Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue de Cristo

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Canzone di San Damiano

Basilica di San  Giovani in Laterano - Roma
Altare di Francesco d'Assisi


Ogni uomo semplice porta in cuore un sogno,
con amore ed umiltà potrà costruirlo.
Se con fede, tu saprai vivere umilmente,
più felice tu sarai anche senza niente.
Se vorrai, ogni giorno con il tuo sudore,
una pietra dopo l'altra alto arriverai!

Nella vita semplice troverai la strada
che la calma donerà al tuo cuore puro.
E le gioie semplice sono più belle,
sono quelle che alla fine sono le più grandi.
Dai e dai ogni giorno con il tuo sudore,
una pietra dopo l'altra alto arriverai!

domingo, 8 de maio de 2011

Do hip hop ao mantra (Leleco)


Jambo! Jambo! Jambo! Jambo!
Jambo! Jambo! Jambo! Jambo!

Jaya, Jaya, Shiva, Jambo!
Jaya, Jaya, Shiva, Jambo!

Alegria e tristeza na vida tudo faz parte
A existência é um saco, viver é uma arte
Pessoas que se foram não me saem da lembrança
Nunca perco a esperança, minha fé nunca se cansa
Eu sei que nessa vida nem tudo é fácil
O verdadeiro sucesso vem com um sorriso que não é frágil
E que não se abala com uma vibe negativa
A energia que eu emano é correspondida

sábado, 7 de maio de 2011

“Invictus” por William Ernest Henley



Out of the night that covers me
Black as the pit from pole to pole
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds, and shall find, me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate
I am the captain of my soul.
________________________________________________


Noite à fora que me cobre
Negra como um breu de ponta a ponta,
Eu agradeço, a quem forem os deuses
Por minha alma incansável.

Nas cruéis garras da circunstância
Eu não fiz cara feia ou sequer gritei.
Sob as pauladas da sorte
Minha cabeça está sangrenta, mas não rebaixada.

Além deste lugar de raiva e lágrimas
É iminente o horror da escuridão,
E ainda o avançar dos anos
Encontra, e me encontrará, sem medo.

Não importa o quão estreito seja o portão,
O quão carregado com castigos esteja o pergaminho,
Eu sou o mestre de meu destino;
Eu sou o capitão de minha alma.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Se non ami (Nek + Giovanni Paolo II)



Puoi decidere le strade che farai
puoi scalare le montagne oltre i limiti che hai
potrai essere qualcuno se ti va
ma se non ami
se non ami
non hai un vero motivo motivo per vivere
se non ami
non ti ami e non ci sei
se non ami
non ha senso tutto quello che fai
puoi creare un grande impero intorno a te
costruire grattaceli e contare un po' di più
puoi comprare tutto quello che vuoi tu
ma se non ami
se non ami
non hai un vero motivo per vivere
se non ami
non ti ami e non ci sei
se non ami
se non ami
non hai il senso delle cose più piccole
le certezze che non trovi e che non dai
l amore attende e non è invadente e non grida mai
se parli ti ascolta tutto sopporta crede in quel che fai
e chiede di esser libero alle porte
e quando torna indietro ti darà di più
se non ami
se non ami
tutto il resto sa proprio di inutile
se non ami
non ti ami
non ci sei...
senza amore noi non siamo niente mai...

Il senso della vita: religione o psicologia?

Un senso (Vasco Rossi)



Voglio trovare un senso a questa sera
Anche se questa sera un senso non ce l’ha

Voglio trovare un senso a questa vita
Anche se questa vita un senso non ce l’ha

Voglio trovare un senso a questa storia
Anche se questa storia un senso non ce l’ha

Voglio trovare un senso a questa voglia
Anche se questa voglia un senso non ce l’ha

Sai che cosa penso
Che se non ha un senso
Domani arriverà...
Domani arriverà lo stesso
Senti che bel vento
Non basta mai il tempo
Domani un altro giorno arriverà...

Voglio trovare un senso a questa situazione
Anche se questa situazione un senso non ce l’ha

Voglio trovare un senso a questa condizione
Anche se questa condizione un senso non ce l’ha

Sai che cosa penso
Che se non ha un senso
Domani arriverà
Domani arriverà lo stesso
Senti che bel vento
Non basta mai il tempo
Domani un altro giorno arriverà...
Domani un altro giorno... ormai è qua!

Voglio trovare un senso a tante cose
Anche se tante cose un senso non ce l’ha

quarta-feira, 4 de maio de 2011

«A Luz veio ao mundo»



Esplendor da glória do Pai,
Luz nascida da Luz,
Fonte viva de claridade,
Dia que ilumina do dia.

Verdadeiro sol resplandecente, desce sobre nós,
Brilha numa luz sem fim,
Faz luzir nos nossos corações
Os raios do Espírito divino.

Que nos seja dado cantar
O Pai da eterna glória,
O Pai todo-poderoso
Que apaga as nossas faltas.

Que Ele dê força ao nosso agir,
Que Ele destrua o inimigo
Que nos dê na provação
A graça para actuar.

Dirija a nossa inteligência,
Que Ele guarde o nosso corpo,
Que a nossa fé seja ardente,
Simples e sem retorno.

Seja Cristo nosso alimento,
A fé a nossa bebida,
Que a sóbria embriaguez do Espírito
Seja a alegria deste dia.

Que o dia decorra alegre
Na pureza da manhã,
Que ao meio dia brilhe a fé
Que vença as sombras da noite.

Como o sol que brilha aos nossos olhos,
Venham até nós com a aurora
O Filho nos braços do Pai
E o Pai nos braços do Filho.

(Hino de Santo Ambrósio para as laudes, «Splendor paternae gloriae»)

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ronaldinho Gaúcho e a Academia de Letras (comentário de Luiz Carlos Prates em 12/04/2011)

Don Bosco e noi


Vecchio lo scrittoio,
I tuoi libri adesso chiusi,
le finestre aperte sulla luce del tramonto...
Tu sul letto con il volto stanco ma sereno,
tante rughe quanti sono i giorni della vita.
Una vita lunga quanto il sogno di un bambino
che aveva illuminato ogni passo del cammino,
che aveva trasformato ogni attimo in amore,
che aveva raddolcito i momenti di dolore.
Ora intorno a te solo quei volti che sono il volto di una vida,
di una vita che no,
non muore insieme a te, ma continua...

Come il chicco di frumento
che cade nella terra e poi rinasce
tu sei sbocciato dentro noi,
hai aperto i nostri cuor,
li hai colmati del tuo amor!

Molte volte sai io ho ripensato a te,
soprattutto quando c’era buio intorno a me nella notte scura,
senza stelle e senza luna,
quando nei miei occhi c’era solo la paura.
E fissando io questi occhi nei tuoi ho capito la tua fede,
quella fede che tanta forza ha data a te, che ci doni...

Come il chicco di frumento
che cade nella terra e poi rinasce
tu sei sbocciato dentro noi,
hai aperto i nostri cuor,
li hai colmati del tuo amor!

Come il fiume verso il mare va
e si perde nel suo immenso,
noi corriamo verso te
che dai forza ai nostri cuor,
che ci fai sperare ancora in te, ancora in te, in te!

Um povo renascido da água e do Espírito




Senhor Deus de bondade, Pai supremo dos fiéis,
que pela graça da adopção multiplicais na terra os filhos da promessa
e, pelo sacrifício pascal,
fizestes do Vosso servo Abraão o pai de todas as nações,
como tínheis prometido,
concedei ao Vosso povo
a graça de corresponder dignamente ao Vosso chamamento.
Por Cristo, Nosso Senhor.

Senhor, também em nossos dias vemos brilhar as Vossas antigas maravilhas:
se outrora manifestastes o Vosso poder
libertando um só povo da perseguição do faraó,
hoje assegurais a salvação de todas as nações
fazendo-as nascer pela água do baptismo;
fazei que todos os povos da terra se tornem filhos de Abraão
e membros do Vosso povo eleito.
Por Cristo, Nosso Senhor.

Senhor, nosso Deus,
que fazeis crescer continuamente a Vossa Igreja
chamando para Ela todos os povos,
defendei com a Vossa protecção os que purificais nas águas do baptismo.
Por Cristo, Nosso Senhor.

Deus, Nosso Senhor, poder imutável e luz sem ocaso,
olhai com bondade para a Vossa Igreja, sacramento da Nova Aliança,
e confirmai na paz, segundo os Vosso desígnios eternos,
a obra da salvação humana,
para que todo o mundo veja e reconheça como o abatido se levanta,
o envelhecido se renova e tudo volta à sua integridade original,
por meio Daquele que é o princípio de todas as coisas,
Jesus Cristo Vosso Filho,
que é Deus Convosco na unidade do Espírito Santo.



(Missal Romano - Orações da catequese baptismal da Vigília Pascal)