quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

25-12-2014 (+) EDILSON MARCOS DA SILVA (+) 25-12-2015


Deus de misericórdia infinita,
confiamos à vossa bondade imensa

EDILSON MARCOS DA SILVA,

que a 1 ano deixou este mundo para a eternidade,
onde Vós esperais a humanidade inteira,
redimida pelo sangue precioso de Cristo,
vosso Filho,
morto em resgate pelos nossos pecados.

Senhor, não olheis para as numerosas formas
de pobreza, miséria e debilidade humanas,
quando nos apresentarmos diante do vosso Tribunal,
para sermos julgados
para a felicidade ou a condenação.

Dirigi-nos o vosso olhar piedoso,
que nasce da ternura do vosso Coração,
e ajudai-nos a caminhar pela senda
de uma purificação completa.

Que nenhum dos vossos filhos
se perca no fogo eterno do inferno,
onde já não há lugar para o arrependimento.

Senhor, confiamos-vos as almas
dos nossos entes queridos,
das pessoas que morreram sem o alívio sacramental,
ou que não tiveram a possibilidade de se arrepender
nem sequer no termo da própria vida.

Que ninguém tenha medo de se encontrar convosco,
depois da peregrinação terrena,
na esperança de ser recebido
nos braços da vossa misericórdia infinita.

Que a irmã morte corporal nos encontre
vigilantes na oração e repletos de todo o bem
praticado ao longo da nossa existência,
breve ou longa que tenha sido.

Senhor, nada nos afaste de Vós nesta terra,
mas tudo e todos nos sustentem no desejo abrasador
de descansar tranquila e eternamente em Vós.

Assim seja.

Edilson Marcos da Silva
(*) 28-08-1946    (+) 25-12-2014


Natal do Senhor 2015: ELE VEM (Rabindranath Tagore)


"Não ouvistes os passos silenciosos?

Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

A cada momento e a cada estação,
a cada dia e a cada noite,
Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

Várias cantigas cantei,
em várias disposições de espírito,
mas as suas notas sempre proclamavam:
Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

Nos dias perfumados de abril luminoso,
no caminho do bosque,
Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

Na sombra chuvosa das noites de junho,
na carruagem trovejante das nuvens,
Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

De tristeza em tristeza,
são os Seus passos que pisam o meu coração!
E é o contato de ouro de Seus pés
que faz brilhar a minha alegria!"

Porque Ele vem vindo, vem vindo, vem vindo sempre!

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

"A pureza... das crianças"!


Eu fico com a pureza
das respostas das crianças:
"É a vida! É bonita e é bonita"!
Viver e não ter a vergonha de ser feliz!
Cantar a beleza de ser um eterno aprendiz!
Eu sei que a vida devia ser bem melhor, e será!
Mas isso não impede que eu repita:
"É bonita! É bonita e é bonita!

O que é? O que é? - Gonzaguinha

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

VIDA QUE SEGUE (Vicente Bombardelli)


Alguém você escolheu
Eu, você esqueceu
Só quero que seja feliz
Mesmo se for com um infeliz

Não sou o melhor
Nem o pior
Apenas achei que pudesse gostar de mim
Mas não prefere caras assim

Estava sempre aqui, porém não me notou
Apenas me deixou
Dei o meu melhor
Valeu a pena o suor
Porém não consegui concretizar meu anseio
Meu louco desejo

Vida que segue
Destino me leve 
Só não as lembranças do teu riso
Que era motivo do meu sorriso

As luzes se acendem
Meus sonhos se perdem
Mas novos surgirão 
E se realizarão

Por fim, quero me despedir 
Da tua vida
Da tua rotina...

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

08/12 - Imaculada Conceição de Nossa Senhora


Virgem Santa e Imaculada,
a Ti, que és a honra do nosso povo
nos dirigimos com confiança e amor.
Tu és a Toda Bela, ó Maria!
Em Ti não há pecado.
Suscita em todos nós um renovado desejo de santidade:
na nossa palavra resplandeça o esplendor da verdade,
nas nossas obras ressoe o canto da caridade,
no nosso corpo e no nosso coração habitem pureza e castidade,
na nossa vida torne-se presente toda a beleza do Evangelho.
Tu és a Toda Bela, ó Maria!
A Palavra de Deus em Ti se fez carne.
Ajuda-nos a permanecer na escuta atenta da voz do Senhor:
o grito dos pobres nunca nos deixe indiferentes,
o sofrimento dos doentes e de quem passa por necessidade
não nos encontre distraídos,
a solidão dos idosos e a fragilidade das crianças nos comovam,
toda a vida humana seja por todos nós
sempre amada e venerada.
Tu és a Toda Bela, ó Maria!
Em Ti está a alegria plena da vida feliz com Deus.
Faz com que não percamos o significado
do nosso caminho terreno:
a gentil luz da fé ilumine os nossos dias,
a força consoladora da esperança oriente os nossos passos,
o calor contagioso do amor anime o nosso coração,
os olhos de todos nós permaneçam bem fixos em Deus,
onde está a verdadeira alegria.
Tu és a Toda Bela, ó Maria!
Escuta a nossa oração, acolhe a nossa súplica:
seja em nós a beleza do amor misericordioso de Deus em Jesus,
seja esta divina beleza a salvar-nos, o mundo inteiro.
Amém.

Papa Francisco - 08/12/2013
diante da "Colonna dell'Immacolata" em Roma

sábado, 5 de dezembro de 2015

05 de novembro - Beato Filipe Rinaldi


Pai de infinita bondade,
que fizestes resplandecer no
Beato FILIPE RINALDI,
terceiro sucessor de Dom Bosco,
um modelo de vida evangélica
vivida em alegre doação,
concedei-nos imitar sua iluminada iniciativa apostólica,
a fim de que, na fidelidade constante ao nosso trabalho,
levemos à plenitude
vosso projeto de amor.
Por nosso Senhor, Jesus Cristo, vosso Filho,
na unidade do Espírito Santo.
Amém.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

O nosso pão no deserto: a Eucaristia, penhor da glória futura


Se a Eucaristia é o memorial da Páscoa da Senhor, se pela nossa comunhão no altar somos cumulados da «plenitude das bênçãos e graças do céu» (cânone romano), a Eucaristia é também a antecipação da glória celeste. Na última ceia, o próprio Senhor chamou a atenção dos seus discípulos para a consumação da Páscoa no Reino de Deus: «Eu vos digo que não voltarei a beber deste fruto da videira, até o dia em que beberei convosco o vinho novo no Reino do meu Pai» (Mt 26, 29). Sempre que a Igreja celebra a Eucaristia, lembra-se desta promessa, e o seu olhar volta-se para «Aquele que vem» (Ap 1, 4). Na sua oração, ela clama pela sua vinda: «Marana tha» (1Cor 16, 22), «Vem, Senhor Jesus!» (Ap 22, 20), «que a tua graça venha e que este mundo passe!» (Didaké).

A Igreja sabe que, desde já, o Senhor vem na sua Eucaristia e que está ali, no meio de nós. Mas esta presença é velada. E é por isso que celebramos a Eucaristia «enquanto aguardamos a feliz esperança e a vinda de Jesus Cristo nosso Salvador» (Tit 2,3), pedindo a graça de ser acolhidos «com bondade no vosso Reino, onde também nós esperamos ser recebidos, para vivermos [...] eternamente na vossa glória, quando enxugardes todas as lágrimas dos nossos olhos; e, vendo-Vos tal como sois, Senhor nosso Deus, seremos para sempre semelhantes a Vós e cantaremos sem fim os vossos louvores, por Jesus Cristo nosso Senhor» (oração eucarística).

Desta grande esperança – dos novos céus e da nova terra, onde habitará a justiça (2Pe 3,13)– não temos garantia mais segura nem sinal mais manifesto do que a Eucaristia. Com efeito, cada vez que se celebra este mistério, «realiza-se a obra da nossa redenção» (Lg 3) e «partimos o mesmo pão, que é remédio de imortalidade, antídoto para não morrer, mas viver em Jesus Cristo para sempre» (Santo Inácio de Antioquia).

Catecismo da Igreja Católica, §§ 1402-1405